Crash – No Limite (2004)

Primeiro ato fraco acaba atrapalhando andamento do filme, entretanto em seu momento final “Crash – No Limite” consegue agradar.

O filme “Crash – No Limite” foi realmente um grande sucesso, até mesmo muito mais do que esperava Paul Haggis, com um elenco estrelado e um belo tema a ser abordado o filme conseguiu ganhar vários prêmios e agradar boa parte da crítica.

“Você pensa que conhece a si mesmo. Você não faz idéia.” essa foi uma das frases de divulgação do filme, que exprime exatamente a ideia de que em situações extremas, inesperadas, quando ficamos desesperados, descontrolados, nervosos acabamos “revelando” uma personalidade que nem mesmo imaginávamos ter.

O diretor e roteirista do filme, Paul Haggis, tem uma grande experiência na televisão americana, já tendo trabalhado em inúmeras séries, tendo feito apenas um filme “Hoje é dia de Rock” que saiu diretamente em VHS. Porém Haggis ganhou notoriedade quando escreveu e produziu o tão premiado “Menina de Ouro” de Clint Eastwood, no qual foi indicado ao Oscar de roteirista. Depois do sucesso de Crash, Paul Haggis ainda foi indicado ao Oscar pelo roteiro de “Cartas de Iwo Jima”; (2006) e trabalhou nos ótimos: “No Vale das Sombras” (2007), “Um Beijo a Mais”; (2006) e nos dois novos 007, “Cassino Royale”; (2006) e “Quantum of Solace” ; (2008)

Com essa experiência é que Paul Haggis dirige esse bom filme, nada mais do que isso, ao meu ver o filme peca muito em sua primeira parte inicial onde apenas quer abordar o racismo, praticamente em todas cenas há alguma citação ao preconceito, chegando até mesmo a irritar de tão forçado, para se ter idéia em todas as cenas você já sabe que haverá alguma reclamação sobre o racismo não deixando com um teor um pouco mais popular, pois sabemos que não é dessa forma que acontece, mas a idéia de abordar o preconceito na sociedade realmente é muito louvável, apesar de errar na intensidade da crítica.

Porém tudo é compensado no segundo ato do filme, que com uma montagem perfeita aliada á ótimas interpretações o filme consegue implacar e realmente trazer a mensagem que desejava, o filme consegue ser intenso com algumas cenas antológicas, da qual eu destaco a cena em que David (Michael Peña) conversa com sua filha e mais tarde quando ela está ameaçado, tudo se encaixa. Perfeito!! Falando no elenco vale destacar as atuações de Matt Dilon, Terrence Howard e Thandie Newton que foram ótimas.

“Crash – No Limite” recebeu 6 indicações ao Oscar, de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Ator Coadjuvante (Matt Dilon), Melhor Roteiro Original, Melhor Montagem e Melhor Canção Original (pela canção In the Deep), recebendo destas, 3 estatuetas: Melhor Filme, Melhor Roteiro e Melhor Montagem.

Depois de assistir “Crash – No Limite” provavelmente você irá parar e pensar, refletir sobre o que foi passado nos 113 minutos de filme, aí então veremos que o diretor conseguiu atingir o que pretendia, o filme não é uma obra-prima mas deve estar em qualquer lista para Lições de Vida. Parabéns Haggis! Missão Cumprida.

Nota: 6,5


1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s