2009, Cinema, Críticas

Um Olhar do Paraíso (2009)

Crítica:

Peter Jackson volta às telonas com um filme mal aceito pela crítica norte-americana, porém tão bom quanto seus outros trabalhos.

Infelizmente existem filmes que quando não caiem nas graças do público e principalmente da critica norte-americana acabam sendo menosprezados, são inúmeros exemplos que podem comprovar essa tese, não estamos aqui nem se apegando às indicações ao Oscar ou Globo de Ouro que servem como um direcionamento do público, mas constantemente filmes são esquecidos ou mal interpretados ou porque não, mal-vistos. É o caso de “Um Olhar do Paraíso”. Um belíssimo filme que trata como poucos um tema tão complicado: A Morte.

Totalmente incompreensível o completo descaso que vem sofrendo o novo filme de Peter Jackson, o diretor que realizou a saga “O Senhor dos Anéis” e a refilmagem de “King Kong” parece não ter caído muito nas graças do público norte-americano, graças a uma péssima recepção, impulsionada com certeza pela crítica, que infelizmente faz a cabeça de muitas pessoas. “Sangue Negro” e “Magnólia” ambos de Paul Thomas Anderson e “Munique” de Steven Spielberg, obras-primas que tiveram um descaso inexplicável principalmente dos Academy Awards (Oscar), agora podemos acrescentar á essa lista “Um Olhar do Paraíso” que é uma obra-prima, sem dúvidas um dos melhores filmes gravados em 2009.

Baseado no livro The Lovely Bones (traduzindo aqui no Brasil como “Uma Vida Interrompida”) da escritora Alice Sebold é que Peter Jackson esquematiza sua trama. O filme se passa nos Estados Unidos na década de 70, onde somos apresentados a família Salmon, uma família simples e feliz que vive tranquilamente. É então que Susie Salmon (Saiorse Ronan) é brutalmente assassinada pelo seu vizinho George Harvey (Stanley Tucci). É então que seus pais, Jack (Mark Wahlberg) e Abigail (Rachel Weisz) sofrem intensamente com a perda de sua filha, procurando respostas para o brutal acontecimento. Depois de um ano do sumiço de Susie é que seu pai começa a desconfiar de seu vizinho e vai em busca de provas do paradeiro de sua filha.

Dando uma olhada na sinopse logo imaginamos que será apenas mais um thriller de suspense do qual já estamos fartos, acontece que o suspense não é em saber quem matou Susie (logo na primeira parte do filme já somos apresentados ao seu assassino) e sim percebemos todo desenvolvimento das pessoas em seu redor. Apesar de Susie ser a narradora da história podemos dizer que os personagens principais são as pessoas que eram próximas á ela, apresentando o olhar da garota que está a caminho do paraíso é que Peter Jackson monta uma outra obra-prima.

O aprofundamento dos personagens é sem dúvida um dos mais complexos que observamos nos últimos tempos, temos total noção de como as pessoas envolvidas estão de desenvolvendo e se adaptando ao crime, um aprofundamento psicológico espetacular. O pai vivido por Mark Wahlberg, totalmente perdido e indignado por sentir que sua filha continuava por perto, mas sem conseguir achar o criminoso; a mãe de Susie vivida pela atriz Rachel Weisz demonstra claramente que não possui forças para nem mesmo entrar no quarto de sua falecida filha, se afastando de sua família; a irmã de Susie (Rose Mcver) que começa a suspeitar de seu vizinho, o observando diariamente, indignada e revoltada com a situação que não teve um desfecho; a própria avó de Susie interpretada por Susan Sarandon, cômica em muitas horas e extremamente importante como um apoio aos familiares; e obviamente ao assassino George Harvey interpretado brilhantemente por Stanley Tucci, onde a “fome” de matar é observada com clareza no personagem, graças á atuação de Tucci, a melhor da carreira.

Por falar em atuações é algo que merece destaque. Comandados pela magistral atuação de Stanley Tucci ( “Julie & Julia” ) que realiza a melhor interpretação de sua vida, praticamente todas as personagens principais tiveram seus atores escolhidos com frieza e acertadamente, Mark Wahlberg ( “Boggie Nights – Prazer sem Limites” ), Rachel Weisz ( “O Jardineiro Fiel” ), Saiorse Ronan ( “Desejo e Reparação” ), Susan Sarandon ( “Os Últimos Passos de um Homem” ) e a desconhecida Rose Mcver. Com um elenco de peso e uma atuação coerente, todos estão ótimos.

A fotografia é uma das melhores do ano, não só os fotogramas do Paraíso, que podem ser comparados com as de Pandora do filme “Avatar”, mas a reconstrução da época é algo impressionante. Uma trilha-sonora magnífica, com um trabalho perfeito realizado por Cocteau Twins onde dá o tom sombrio quando necessário e alegre, um som angelical nos momentos em que Susie permanece no céu. Tecnicamente não tenho medo de dizer que o filme é perfeito, interpretações, fotografia, edição, trilha-sonora e tudo o que se pode pedir de um filme……… E tudo isso para que?? Para uma mísera indicação ao Oscar (Stanley Tucci foi indicado como Melhor Ator Coadjuvante), é para perder toda a credibilidade da Academia, óbvio que um filme não é só medido pelas indicações, são infindáveis filmes, obras-primas que não são bem vistas por muitos críticos de cinema. Quando um filme sai do padrão, busca uma originalidade, acaba se dando mal, nesse quesito.

Um filme espetacular, que com ou sem aceitação da crítica norte-americana. Está entre os melhores do ultimo ano (apesar de só chagar ao Brasil em 2010, ele foi lançado mundialmente em 2009) Um filme fantástico, uma verdadeira obra-prima que trata com tanto carinho e com tanta simplicidade a perda de alguém próximo.

E para quem acredita, o Paraíso é lindo…..

Nota: 9,5


2 comentários em “Um Olhar do Paraíso (2009)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s