Cinema, Críticas, Especiais

[Especial] LOST

** POR FAVOR, CASO AINDA NÃO TENHA ASSISTIDO O ÚLTIMO EPISÓDIO (“THE END”), NÃO LEIA…..  CONTÉM INÚMEROS SPOILLERS.

Enfim “Lost” acabou. Foram seis anos de alegrias, tristezas, desapontamentos, surpresas, revelações, perguntas, dúvidas…. Ou seja, inúmeros adjetivos que não cabe, a mim, listá-los aqui. O dia 23 de maio de 2010 parecia distante quando em 2007 foi anunciado que o seriado se encerraria na sexta temporada, mas o tão esperado dia chegou. Os fãs se encontram divididos: Amar ou odiar, oito ou oitenta, preto ou branco, luz ou escuridão, fé ou ciência? Destino ou coincidência?
Acima de tudo, nós fãs, devemos ter respeito com uma opinião contrária, a série deixou motivos para ambos terem razão, isso é o seu diferencial, caracterização de uma obra-prima, de um fenômeno.

“Lost” foi sem dúvida um dos maiores eventos  de todos os tempos, revolucionou o fanatismo, deu um novo gás a indústria, trouxe uma criatividade cada vez mais escassa à tona.Inúmeros fãs madrugaram noites e mais noites atrás de respostas, indagações e de episódios que satisfazem a agudez presente na curiosidade humana. A série se perdeu em alguns momentos, mas a sua essência foi mantida, tendo um desfecho coerente.

O episódio “The End” foi acima de tudo uma homenagem a nós, que discutimos durante madrugadas inteiras, fizemos novas amizades, criamos teorias das mais absurdas até as mais plausíveis e principalmente que nos emocionamos com o cotidiano dos 48 sobreviventes do vôo Oceanic 815. Acho que antes de tudo, devemos dizer que sim, “Lost” é uma série subjetiva, então cabe a cada um formular sua própria teoria.

Pois bem, vamos dividir a realidade na ilha e os tais “Flash Sideways”, vamos esquecer, apagar a realidade paralela, pelo menos por enquanto. Na ilha tudo se resolveu: FLocke foi morto; Sawyer, Kate, Claire, Lapidus e Miles saíram da ilha; Jack se sacrificou pela ilha e Hurley virou o “novo” Jacob tendo Ben como seu conselheiro (uma espécie de Richard Alpert, que por sinal não é mais imortal). Então não significa (como muitos vem dizendo) que todos morreram no acidente aéreo. Tudo o que nos foi apresentado nestes seis anos aconteceu, isso ficou mais do que claro. Desde a chegada dos personagens a ilha, acontecimentos estranhos foram sendo jogados em suas realidades, sempre mesclando física e religiosidade. Então foi nos mostrado uma incrível estória mística encabeçada por duas entidades: Jacob e a Fumaça Preta, mas principalmente o relacionamento entre os personagens, essa sim é a verdadeira trama principal. Os “Outros”, as viagens temporais, a Iniciativa Dharma, os mistérios por parte da ilha foram apenas enredos que foram acrescentados (algumas vezes equivocados) para satisfazer nosso fanatismo, e para os menos exigentes procurarem as tais respostas.

Quem só assistiu “Lost” para descobrir estas tais respostas definitivamente não entrou no clima da série, onde sempre a cada final de temporada nossos miolos eram estourados com resoluções pouco prováveis e proporcionalmente espetaculares. Pouco me importa o que é a ilha, pouco me importa da onde surgiu a mãe de Jacob, pouco me importa o que era a Iniciativa Dharma…. “Lost” é um estudo sobre o ser humano e não de física quântica ou teologia. Aconselho aos incrédulos por respostas que procurem um ótimo passatempo chamado “Palavras Cruzadas”.

As conseqüências entre os entrelaces dos personagens, suas redenções, o acaso ou o destino, a busca por seu espaço e principalmente por seu amor, essas sim são as verdadeiras respostas de “Lost” ou dizendo em outra linguagem suas constantes.

Então tudo se resolveu na ilha, ponto! E os benditos “Flash Sideways”?? Porque eles entram no exato momento em que o avião deixa de cair e continua sua trajetória normalmente?? Porque naquele exato momento, a ilha se tornou a variável de nossos personagens, sem estes acontecimentos na ilha, eles iriam continuar suas vidas infelizes e insignificantes…. Mas não, eles se restabeleceram, acharam um propósito para sua existência, se sentiram alguém importante, encontraram pessoas igualmente imperfeitas… E por sinal, quem não é…
Então os “Flash Sideways” são a passagem para o paraíso, a ilha foi o ingresso. Todo sofrimento foi recompensado, com o êxtase da vida sendo encontrado em suas pós-mortes.

Só tenho que agradecer estes seis anos, só isso, obrigado por tudo, obrigado Jack, Locke, Sawyer, Kate, Hurley, Sayid, Charlie, Desmond, Jacob, Bem, Richard, Widmore, Faraday, Shannon, Claire, Rousseau, Alex, Vincent, Jin, Sun, Michael, Walt, Libby, Eko, Miles, Lapidus, Ana Lucia, Juliet, Boone, Rose, Bernard, Naomi, Keamy, Dr. Chang e a todos envolvidos neste árduo e tão saboroso trabalho.

Finalmente entendemos o significado do nome “Lost”. Os personagens não se perderam na ilha, eles já estavam perdidos, antes de comprarem as passagens para o vôo 815 eles estavam arruinados… Depois do acidente finalmente eles se encontraram, ganharam propósito e esta confirmação veio nos últimos cinco minutos de exibição.

Todos morrem, todos estão perdidos, todos nós precisamos de uma ilha, precisamos de nossa variável, afinal Hurley e Ben continuaram na ilha… Quem sabe eles não salvaram mais pessoas??? Pelo menos a mim, já salvaram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s