2010, Cinema, Críticas

Red – Aposentados e Perigosos (2010)

Risada. Explosão. Dúvidas


John Malkovich correndo repleto de bombas por todo o corpo atrás de agentes da CIA é hilariante. A rainha Helen Mirren metralhando carros blindados quase sem piscar é uma passagem digna de John McClane. Agora a condução entre esses dois feixes não foi tão digna quanto à que Miss Daisy recebeu.

Bruce Willis (“Duro de Matar”), John Malkovich (“Ligações Perigosas”), Morgan Freeman (“Conduzindo Miss Daisy”) e Helen Mirren (“A Rainha”) por si só já são motivos para que “Red – Aposentados e Perigosos” valha o ingresso. Além disso, a produção promete um clima explosivo repleto de risadas que preencham bem um final de tarde exaustivo. Inexplicavelmente a sensação ao término de “Red” é somente uma: Dúvida.
Ficamos com duvidas se o diretor Robert Schwentke decidiu realizar uma comédia, ação, os dois juntos ou nenhuma destas hipóteses. Indo além, chegamos à conclusão que a duvida existente no telespectador é a mesma em seus produtores.

O grande mérito em produções como “Red” esta depositada na forma com que a comédia e a ação são balanceadas. Ao pecar nesta transição orgânica, ocasionando assim mudanças drásticas dentro destes capítulos, os Aposentados e Perigosos falham em parte na sua principal missão.

“Red” é uma adaptação dos quadrinhos de mesmo título criado por Warren Ellis e Cully Hammer, publicado pela editora Wildstorm/DC Comics. O termo “RED” quer dizer: Retired Extremely Dangerous. Ou seja, Aposentados Altamente Perigosos.
Frank Moses (Bruce Willis) lidera o grupo dos cinqüentões de ex-agentes da CIA que passam a ser perseguidos a princípio sem motivo algum. Ele então reúne um grupo de amigos, todos também ex-agentes aposentados, para ajudá-lo a descobrir quem está em seu encalço. Frank, Joe (Morgan Freeman), Marvin (John Malkovich) e Victoria (Helen Mirren) saem então, em uma verdadeira caçada á um inimigo bem conhecido: a própria CIA, que está armando essa busca pelos “velhotes” que sabem de um segredo mirabolante. Pegando viagem, está uma atendente do Sistema de Aposentadoria, Sarah (Mary-Louise Parker), por quem Frank é apaixonado, que acaba se envolvendo também nesta aventura.

Mesmo que seja incômoda a transição entre humor e ação, é impossível negar que ambos, isoladamente, funcionem. Podemos dizer que existem cenas muito engraçadas e também de tirar o fôlego. O grande problema está em seu completo anticlímax, que por começar muito cedo acaba perdendo intensidade, deixando seu ato final nada empolgante, inclusive perto de outras tomadas realizadas dentro do próprio filme.
Um dos graves problemas de “Red” é seu roteiro que tenta dar inúmeras voltas na busca de encorpá-lo ao invés de assumir-se logo como uma comédia. A dupla, Erich Hoeber e Jon Hoeber (roteiristas de “Terror na Antártida”) se preocupam apenas em criar situações propícias para focar no elenco superstar da produção.

Valendo o ingresso apenas para acompanhar quatro grandes nomes que estrelam o filme e algumas doses de ação e diversão, “Red – Aposentados e Perigosos” fica devendo. Mas ainda assim é um bom passatempo.

Nota: 6,0

por Filipe Ferraz

2 thoughts on “Red – Aposentados e Perigosos (2010)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s