2011, Cinema, Críticas

Amizade Colorida (2011)

O sexo sem compromisso agora funcionou bem melhor


Jamie (Mila Kunis) trabalha em Nova Iorque recrutando jovens que se destacam em determinadas áreas para bons cargos em empresas. Eis que aparece Dylan (Justin Timberlake) e ela terá que convencê-lo a deixar seu emprego em Los Angeles para se mudar para Nova Iorque. Depois de passarem por fases difíceis em seus antigos relacionamentos eles não procuram se envolver seriamente com outro alguém, porém eles se sentem atraídos. Logo, farão um trato, o sexo entre eles acontecerá casualmente e não deve afetar na amizade, até onde for possível.

Desde os seus alvoreceres que a comédia romântica precisa de um casal que consiga se relacionar bem no filme, ou que pelo menos transpareça uma boa relação, e que um diferencial seja nos diálogos ou na direção que convença quem está assistindo de que aquilo é algo diferente, mesmo sabendo que o casal principal fica unido no final do filme. No início do ano foi lançado Sexo Sem Compromisso (clique aqui) com Natalie Portman e Ashton Kutcher, ali, duas ou três cenas eram realmente engraçadas e o que ajudou o filme a se desenvolver era o elenco de apoio; o casal não ‘combinava’ e tinha diálogos muito cafonas, enfim, era bem limitado. O diretor Will Gluck mostrou que praticamente com o mesmo roteiro é possível fazer um filme bem mais eficiente.

Começando pelo casal, Justin Timberlake, que vem mostrando um bom desempenho em suas atuações, e Mila Kunis. A escolha de jovens atores para os papéis dá uma maior credibilidade à história de amizade com sexo sem compromisso. Os diálogos são muito ágeis, divertidos e fazem de várias situações, tidas como banais em outras comédias românticas, boas piadas. O elenco de apoio também está na medida e momentos tão bons quanto os protagonistas – ênfase para a primeira cena do filme em que Emma Stone e Andy Samberg tem uma participação e  fazem dessa uma das melhores e mais engraçadas cenas do filme.

Quando se trata de atingir o público que vai aos cinemas assistir uma comédia romântica, um filme tem que ter momentos que agrade tanto ao público feminino que é sua maioria, quanto o público masculino que as acompanha, e Amizade Colorida consegue isso. É bem engraçado e em certos momentos é irônico em relação às próprias comédias românticas. Um tratamento mais jovial no roteiro e na direção prova que é possível fazer um filme com a mesma ideia de outro já feito no mesmo ano, e esse se sair bem melhor.

Nota 8,0

por Ávila Souza

Um comentário em “Amizade Colorida (2011)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s