2011, Cinema, Críticas, Especiais

Entendendo O Espião que Sabia Demais

Como irei abordar temas importantes da narrativa (Spoilers!!), apenas aqueles que já assistiram ao filme continuem a leitura.

Se você ainda não assistiu, leia a crítica clicando aqui.


O Espião que Sabia Demais é resumidamente uma tarefa difícil. E eu venho percebendo que muitos vêm sentindo dificuldades, primeiramente para acompanhar o ritmo da narrativa de Tomas Alfredson, mas principalmente de conseguir entender toda sua trama e o que carrega os diversos personagens durante as duas horas de filme. E peço para que, depois de lerem este artigo, procurem assistir novamente o filme, que merece sim uma segunda, terceira ou décima chance, já que como vocês podem ver em seu pôster, com números referentes a um criptograma, será um exercício válido tentar desvendá-los, já que somos convidados a juntar os pontos que ficam, propositalmente, abertos. Enfim, vamos começar a entender O Espião que Sabia Demais.

O longa se passa em 1973, em plena época da Guerra Fria, onde as relações internacionais permanecem quase impossíveis de serem realizadas. Nós iremos acompanhar o Serviço Secreto Britânico, com o codinome Circus. Em sua primeira cena vemos o encontro de Control (John Hurt) e Jim Prideaux (Mark Strong). Control é o cabeça da Circus e diz a Prideaux que um agente duplo está infiltrado em solo britânico, e um general húngaro tem informações importantes sobre este informante – e o que justificaria essa separação ideológica do general Húngaro com a União Soviética, certamente seria a Primavera de Praga. Mas acontece que Jim Prideaux acaba baleado durante essa operação em Budapeste, comprometendo todo o planejamento de Control. O resultado dessa péssima ação em solo Húngaro é o afastamento de Control, assim como seu braço direito George Smiley (Gary Oldman).

Clique na imagem para ampliar


Quem assume o posto de líder é Percy Alleline (Toby Jones). Sua primeira ação é reunir-se com o governo britânico pedindo, em nome do Circus, financiamento para abrigar uma fonte soviética (um espião infiltrado na KGB) em Londres – a casa que logo no começo é referida, e que posteriormente será o local onde o espião será revelado. Essa operação se chama Bruxaria.
Ok, mas qual a função da Operação Bruxaria? Com a Inglaterra tendo um espião na União Soviética, a chance de um acordo com os Estados Unidos crescem consideravelmente, lembre-se que o mundo se encontrava bipolarizado entre essas duas potências. E o governo britânico, no meio dessa Guerra ideológica e sem saber a princípio para que lado correr, consegue firmar o tão sonhado acordo com os Estados Unidos.
Paralelamente a isso, Smiley é chamado a ver o subsecretário Oliver Lacon (Simon McBurney) e é contratado secretamente, por ordem do governo, para encontrar o espião duplo, que Control já havia alertado anteriormente, entretanto seu estado psicológico, a falta de provas e, obviamente o insucesso da missão na Hungria, acabaram desviando o foco. Mas como dessa vez Ricki Tarff (Tom Hardy) entrou em contato diretamente com o subsecretário, dizendo que de fato o Circus tem um informante infiltrado, o governo decidiu abrir uma investigação, comandada então por Smiley. Apoiado por Peter Guillam (Benedict Cumberbatch), um agente mais jovem, Smiley analisa as atividades do Circus realizadas no passado e no presente. Ao tentar rastrear e identificar o agente duplo, Smiley passa a ser atormentado novamente por Karla, espião russo com quem teve ligação décadas antes.

  • Conheça os personagens:

CONTROL
Control é a “cabeça” do Circus, que supervisiona todas as operações que passam pelo escritório de Londres. Um homem sábio e solitário, apaixonado pelo jogo de xadrez e um desconfiado por natureza, de tudo e todos. Ele acredita que existe um traidor dentro do Circus e ninguém está acima de qualquer suspeita sob seus olhos. Nem mesmo seu bom amigo e braço direito, Smiley.

GEORGE SMILEY
George Smiley é o braço direito de Control, no Circus. Recrutado inicialmente em 1937, Smiley teve uma carreira brilhante no MI6, e serviu na II Guerra Mundial. Ele é caracterizado por seus óculos de lentes grossas, seu hobby que é nadar em Hampstead Pondse pela devoção à sua esposa, Ann, a quem ele conheceu enquanto ela estava empregada como secretária do Circus.

PETER GUILLAM
Guillam é o cabeça da equipe de Scalphunters no Circus e responsável pelos agentes que estão em campo. Embora alguns o vejam como um playboy, ele é devotadamente comprometido aos seus deveres e à lealdade ao seu amigo George Smiley.

PERCY ALLELINE
Alleline é o Diretor de Operações do Circus e está sob o comando de Control. Control não está entusiasmado em deixar que Percy tenha reais poderes no Circus, já que o vê como oportunista e não confiável. Ele fez seu caminho até o topo através de conexões e ambições políticas e amaria tomar o controle de tudo. Outros vêem essas conexões e sua devoção à CIA e aos “primos” nos Estados Unidos com suspeitas.

BILL HAYDON
De pensamento rápido e decisivo, Haydon é um recurso fundamental para a “London Station”. E é grande amigo do seu companheiro da Universidade de Oxford, Jim Prideaux (a quem ele ajudou a recrutar). Enquanto Prideaux tornou-se um talentoso agente em campo, Haydon tornou-se respeitável e amado nos altos escalões do SIS, por causa do seu charme e suas façanhas em guardar, em segurança, dados de inteligência.

ROY BLAND
Embora o histórico de Bland não tenha tanto prestígio quanto o de outros (suas raízes são mais do operariado do que as de seus colegas), seu trabalho de campo e seus disfarces no bloco Oriental lhe deram grandes conexões e contatos lá tanto quanto a fluência em línguas úteis. Ele é capaz de defender os dois lados de uma discussão simultaneamente e pensar como Control e Smiley. Ele fica muito feliz em tomar o partido de Aleline e, assim, crescer em sua carreira, no Circus.

JIM PRIDEAUX
Um scalphunter e amigo de longa data de Bill Haydon. Jim Prideaux recentemente envolveu-se em uma missão mal sucedida em Budapeste e foi dado como desaparecido em ação.


RICKI TARR
Tarr é um dos scalphunters de Peter Guillam, mas foi originalmente recrutado por Smiley. Charmoso e habilidoso com as mulheres, ele é um recurso de Guillam em reunir informações em campo e está, atualmente, disfarçado em uma missão secreta em Istambul.

TOBY ESTERHASE
Esterhase é cabeça húngaro do Lamplighters no Circus. Inicialmente recrutado por Control, sua lealdade foi perdida, como resultado do seu desejo de crescer nos escalões da instituição e comandar mais operações secretas

CONNIE SACHS
Connie é “rainha da Inteligência” no Circus e uma das suas principais pesquisadoras. Sendo a única mulher no meio desse clube de homens, ela passou a apreciar uma boa bebida, mas tem também um olho clínico para reconhecer espiões no seu meio.

JERRY WESTERBY
Westerby é um gerente do Circus. Ele é um dos mais confiáveis e antigos membros da equipe de Control.

  • Quem é Karla?

Grande antagonista de George Smiley, Karla não chega a aparecer no longa, porém sempre é mencionado como o grande mentor da Inteligência Soviética. Seu verdadeiro nome jamais é revelado, sendo Karla, um codinome escolhido pelo próprio (possivelmente o nome da primeira espiã que conseguiu recrutar).
Karla recrutou o espião que está infiltrado no Circus, usando-o não só para obviamente levar informações até a União Soviética, mas como também para fabricar camuflagens dentro da própria Circus, que fariam seus agentes andar em círculos, ou mais precisamente acharem ter um espião dentro da KGB. Isso mesmo, a tal Operação Bruxaria, que os ingleses achavam ser benéfico, na verdade era o contrário, já que Alexei Polyakov (Konstantin Khabenskiy) traz apenas informações inúteis e falsas para a Circus, ao mesmo tempo em que leva diversas sigilosas até Karla. Vale lembrar que Polyakov é um ex-militar e foi treinado por Karla, sendo hoje um diplomata cultural em Londres, o que lhe traz grande imunidade. Por isso que Alleline não dá importância as reclamações de Connie (Kathy Burke), afinal ele sabia que Polyakov tinha ligações passadas com a União Soviética, mas jamais imaginava que seu trabalho era completamente o oposto. Então com o acordo entre Inglaterra e Estados Unidos, a Operação Bruxaria se torna altamente benéfica para Karla e consequentemente a União Soviética, já que informações importantes vinculadas a CIA cairiam de graça em suas mãos.

  • Desenvolvimento

Separadamente a tudo isso, passamos a acompanhar a investigação de Smiley, que logo de cara fica sabendo que Control reduziu a lista de agentes duplos suspeitos para cinco nomes. São eles: Percy Alleline, que tem o codinome Tinker; Bill Haydon, também chamado de Tailor; Roy Bland, chamado de Soldier; Toby Esterhase, chamado de Poor Man; e ele, o próprio Smiley de codinome Spy.
Com a volta de Ricki Tarr desvendamos alguns pontos importantes. Primeiramente, Ricki foi enviado, por seu chefe Peter, para tentar convencer um general russo com ‘grande índice de persuasão’, com a ajuda de um residente da Circus em Istambul, Witchcraft (fonte protegida por Percy Alleleine). Porém rapidamente Ricki percebe que o tal delegado russo (denominado Boris) na verdade é alguém instruído para se parecer delegado, ou seja, ou uma armadilha plantada por Karla, ou simplesmente uma pseudo-informação. Porém ele acaba se envolvendo com a esposa de Boris, Irina (Svetlana Khodchenkova) que lhe diz ter uma informação altamente valiosa. E de fato, Irina revela que Karla tem um espião dentro da Circus. Ricki tenta se comunicar diversas vezes com o alto comando da Circus, mas de alguma forma ele é ignorado (como podemos notar posteriormente, o espião desviava todas chamadas criptografadas para a casa alugada em Londres, e somente depois de ‘autenticada’, era liberada para os outros integrantes do comitê principal). E aí que cansado das não respostas, e percebendo ter algo estranho ao receber ‘Nós lemos você’, Ricki vai diretamente até o governo britânico, aonde chegamos ao começo do filme com sua ligação para o subsecretário.

Smiley então descobre que Jim Prideaux, até então considerado morto pela missão na Hungria, está vivo e escondido no oeste europeu. Indo em encontro com Prideaux, Smiley descobre o que realmente aconteceu em Budapeste. Logo na primeira cena do filme, vemos que Prideaux percebe estar sendo vigiado pelos russos, o que ele até certo ponto já esperava – ele usava uma identidade já conhecida – porém ele acaba sendo baleado pela falta de experiência de um dos agentes. E que fique claro isso, que os russos, a princípio e pelo pensamento de Prideaux, não suspeitavam que ele foi a Budapeste para investigar quem era o espião, já que o encontro dele com Control fora extra-oficial…
Acontece que ao ser interrogado e torturado pelo Serviço Soviético, Prideaux descobre que eles já sabem da operação de Control em encontrar o espião… Mas como se Prideaux só havia se reunido com Control? Depois de liberado e de volta a Inglaterra, Prideaux foi afastado pela Circus, sendo informado por Toby Esterhase: ‘Ah esquecer a operação Tinker Tailor’, recebendo uma quantia de 1.000 euros. Mas repito, se apenas Control e Prideaux sabiam da operação Tinker Tailor, como ele foi reembolsado para ‘esquecê-la’? E que fique claro, Toby Esterhase era apenas um mensageiro  e não sabia do real significado da Operação Bruxaria.

Mas vocês devem ter notado o quanto Prideaux e Bill Haydoun eram amigos? Observamos, por mais de uma vez, a foto dos dois juntos e sua extrema ligação. Horas antes de viajar a Budapeste, supõe Smiley, Prideaux teria se encontrado com Haydoun e revelado alguns detalhes… Full House!
É assim que Smiley descobre o real significado do projeto Bruxaria, já que Polyakov não traz informações, mas sim as leva, como podemos perceber na reunião, já nos momentos finais, de Smiley com o subsecretário inglês, expondo que no fundo, a Inglaterra foi um mero peão utilizado pela União Soviética para conseguir informações sigilosas dos Estados Unidos. Ou seja, a Operação Bruxaria mais do que uma campanha de desinformação orquestrada pelos soviéticos, era também um passaporte para dentro de seu principal rival.

Smiley ligou os pontos e obviamente já descobriu a identidade do espião, mas ele precisa diagnosticar e ter provas concretas. E essa prova vem depois de descobrir a localização da casa alugada em Londres, aliado ao fato de Ricki Tarff viajar até Paris e mandar uma mensagem falsa para o Circus dizendo ter informações vitais sobre um informante. Smiley então evita que a mensagem seja apagada (percebam que a casa é cheia de aparelhos que permitem isso), liberando-a até o centro da Circus. Então obviamente quem aparecesse na Circus, não seria o espião (ou seja, eles sequer receberam as antigas mensagens de Ricki). O único que não aparece é Bill Haydoun, enfim nosso espião é encontrado.
Bill Haydoun então revela toda sua importância para Karla, dizendo inclusive que seu caso com a esposa de Smilley foi uma missão imposta por seu chefe, já que como pudemos observar, Karla e Smilley já se encontraram, e o chefe russo percebeu que o grande ponto fraco de seu adversário, o mais propício a descobrir um espião, era sua esposa (vejam a simbologia do isqueiro).
Haydoun é ‘preso’, e enquanto isso o Circus negociava uma troca com os soviéticos por alguns agentes britânicos que estavam capturados. Acontece que seu melhor amigo, Prideaux, não podendo suportar o fato de ter sido usado e ludibriado esse tempo todo, o mata nos instantes finais.

Com isso, Smiley garante sua volta ao Circus, e consequentemente a liderança, que antigamente era de Control, e agora estava nas mãos de Alleleine – que se demite depois de saber que quase todos seus projetos foram apenas uma manipulação soviética, que o transformou praticamente em um fantoche, mesmo que ele jamais imaginava estar ajudando seus adversários.

Enfim, espero que algumas dúvidas sejam sanadas com esse acompanhamento sobre O Espião que Sabia Demais, filme baseado no best-seller de John le Carré, Tinker Tailor Soldier Spy e certamente uma das obras mais corajosas dos últimos anos. Tão corajosa quanto criptografadamente genial.

12 comentários em “Entendendo O Espião que Sabia Demais”

  1. Exelente, impecável e perfeita sua explicação. Foi nos detalhes importantes, e esclareceu bem toda a história.
    O final que tinha me confundido parcialmente, não entendendo o motivo de Prideaux ter matado Haydon. (Em algum trecho do filme é explicado esse motivo que você postou?)

  2. Ainda com dúvidas: não achei a parte no filme que explica que as mensagens eram “filtradas” pelo espião (se todos do Circus frequentavam a casa, não saberiam que os aparelhos faziam isso?). E na sua explicação, disse que o Bill “Alfaiate” não apareceu no Circus (eu entendi que ele apareceu sim, mas depois retornou para a casa, dialogando com o russo e perguntando se o aparelho estava desligado – ou seja, que deixou a mensagem ir direto para o Circus). Aí então que Bill foi pego e revelado como espião.
    O russo Poliakov não deixa de ser realmente um espião, certo? Os dois o são…

  3. Ainda com dúvidas: não achei a parte no filme que explica que as mensagens eram “filtradas” pelo espião (se todos do Circus frequentavam a casa, não saberia que os aparelhos faziam isso?). E na sua explicação, disse que o Bill “Alfaiate” não apareceu no Circus (eu entendi que ele apareceu sim, mas depois retornou para a casa, dialogando com o russo e perguntando se o aparelho estava desligado – ou seja, que deixou a mensagem ir direto para o Circus). Aí então que Bill foi pego e revelado como espião.
    O russo Poliakov não deixa de ser realmente um espião, certo? Os dois o são…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s