Em Transe (2013)

Poucas vezes os minutos finais de um filme foram tão desastrosos e capazes de desmoronar quase toda e qualquer construção até então estabelecida pela instigante e, com o perdão do trocadilho, hipnotizante narrativa. No entanto, Danny Boyle e seu usual parceiro, o diretor de fotografia Anthony Dod Mantle, conseguem equilibrar os estúpidos tropeços do roteiro criando um ambiente deslumbrante, repleto de simbologias, mas acima de tudo que servem organicamente a temática do filme.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s