Êxodo – Deuses e Reis (2014)

Ridley Scott não tem medo em colocar como ponto fundamental de sua releitura da história de Moisés um tom sempre ambíguo e pintado em tons de cinza, onde bem e mal nem sempre são diferenciados e colocados em lados opostos, assim como as motivações e determinações dos personagens centrais: Moisés não é pintado como um “anjo colorido” e muito menos Ramses como um “demônio envolto em escuridão”, ambos possuem momentos humanos que hora puxam para suas personalidades e caráter, essas sim distintas e que os levam a lados distintos . Filmado com a usual habilidade de Scott, este Êxodo faz neste ano uma grande sessão dupla com o também excelente Noé.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s