Velozes e Furiosos 8 (2017)

The Fate of the Furious

Direção: F. Gary Gray
Roteiro: Chris Morgan
Gênero: Ação
Origem: Canadá/ Estados Unidos/ França/ Japão/ Samoa
Duração: 136 minutos
Tipo: Longa-metragem
Elenco: Vin Diesel, Michelle Rodriguez, Dwayne Johnson, Jason Statham, Charlize Theron, Kurt Russell, Scott Eastwood, Helen Mirren, Tyrese Gibson, Ludacris, Nathalie Emmanuel, Kristofer Hivju, Elsa Pataky, Tego Calderón, Don Omar, Luke Evans, Theresa Cook, Zachary Vazquez, Kim Evans, Oleg Prudius

Sinopse: Quando uma misteriosa mulher seduz Dom para o mundo do crime e uma traição daqueles mais próximos a ele, o time enfrenta situações que os testarão como nunca antes.


CRÍTICA

Um dos grandes méritos de um filme é quando ele abraça sua pretensão e segue firme com ela até o final. Nem todo filme precisa ser “de arte”, “cult” ou “entregar uma mensagem que combata o machismo e a indústria capitalista”. Algumas produções tem como única pretensão ser uma diversão barata, onde você paga o ingresso, senta na poltrona de cinema, é bombardeado pelo cúmulo do absurdo, dá risadas, sai do cinema e dias depois já esqueceu de quase tudo aquilo. Portanto se a interminável franquia Velozes e Furiosos tem um grande mérito é o fato de abraçar sua própria estupidez e não se envergonhar disso.

Façamos um paralelo com a outra interminável franquia, mas já insuportável, Transformers. Em seus… alguém realmente sabe quantos filmes de Transformers existem? …enfim, em seus X filmes, Michael Bay insiste em elaborar planos megalomaníacos, uma trama pseudoprofunda e baboseiras do tipo, que apenas enfraquecem a chatíssima história dos robôs que não decidem logo o que querem. E faço essa analogia com a saga de Optmius-Ninguém-Se-Importa porque entender que seus filmes são apenas um passatempo de vinte reais é muitas vezes um mérito, ao invés de esconder a real natureza da obra.

Escrito por Chris Morgan, Velozes e Furiosos 8 se passa após Brian (Paul Walker) e Mia (Jordana Brewster) se aposentaram, e o resto da equipe ser exonerado, Dom (Vin Diesel) e Letty (Michelle Rodriguez) estão em lua de mel e levam uma vida pacata e completamente normal. Mas a adrenalina do passado acaba voltando com tudo quando uma mulher misteriosa (Charlize Theron) faz com que Dom retorne ao mundo do crime e da velocidade.

É interessante notar como com o passar dos filmes a saga Velozes e Furiosos foi se entregando cada vez mais a comédia – com exceção do filme anterior, por motivos óbvios da morte de Paul Walker, sendo uma obra que procurou um estofo mais dramático e menos idiota, já que é praticamente um filme homenagem ao falecido astro da série.
Sendo assim, a saga que agora acompanhará a “família Toretto” não tem vergonha em utilizar gags cômicas para contornar as situações absurdas que seus personagens se envolvem. Dessa forma, além do alivio cômico de Tyrese Gibson, a interessante química entre Dwayne Johnson e Jason Statham é muito bem explorada – e a recente notícia de que os dois protagonizarão filmes paralelos da franquia é animadora, já que ambos acabam sendo indubitavelmente as figuras mais interessantes a se explorar num futuro próximo da franquia. Tendo ao luxo, inclusive, de contar com as grandiosas atrizes Charlize Theron e Helen Mirren.
Afinal me parece evidente que o ciclo de Vin Diesel na franquia vai chegando ao fim, não apenas pelo caminho traçado pelo próprio personagem, mas também na notória dificuldade de Vin Diesel protagonizar sozinho a franquia, sem a parceria com Paul Walker.

Do ponto de vista visual, Velozes e Furiosos 8 é uma viagem de ecstasy num carrinho bate-bate, onde o diretor F. Gary Gray (do ótimo Straight Outta Compton – A História do N.W.A.) extravasa nas sequências de ação, apostando nos exageros quase cartunescos, como ao ver uma chuva de carros e uma batalha entre um carro e um… submarino. (Meu pai certamente se visse essa cena começaria a esmurrar a própria cara).
Porque aí vai um outro ponto fundamental em se assistir Velozes e Furiosos. Você deve possuir uma suspensão de descrença muito forte. Você deve relevar o fato de alguém conseguir hackear todos os carros da face de Terra, apenas para destruir um único carro (e talvez fosse mais fácil hackear esse único carro, não é mesmo?). Ou, por exemplo, uma corrida no gelo onde The Rock desvia um míssil com a mão.

Mas em um filme onde o próprio ator faz uma ROSCA DIRETA COM UMA PIA, isso tudo faz parte da grande farofada que é Velozes e Furiosos 8.
Mas uma farofa, quando bem feita, sempre é uma boa pedida.

★ ★ ★ ★ ★

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s